Policiais notificam estabelecimentos do Litoral gaúcho por venderem bebidas alcoólicas para menores de idade

A Polícia Civil gaúcha realiza desde a noite de sexta-feira (8) uma operação especial de fiscalização para coibir a venda de bebidas alcoólicas para crianças e adolescentes em praias como Imbé, Mariluz e Albatroz, no Litoral Norte do Estado.

Durante a ofensiva, diversos estabelecimentos foram notificados sobre a proibição de vender, fornecer, servir ou entregar, sob qualquer forma e ainda que gratuitamente, a menores de 18 anos, bebida alcóolica ou outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica.

A iniciativa contou com a participação do Conselho Tutelar, Fiscalização Tributária e Guarda Municipal de Imbé. Ao todo, 59 bares, restaurantes e similares foram notificados, sendo 25 na barra de Imbé, 25 em Mariluz e nove em Albatroz.

Além disso, na semana passada a corporação deflagrou em Santo Antônio da Patrulha a Operação Gandaia, com foco no combate ao tráfico de drogas na cidade. A ação foi realizada na área central da cidade, em alguns bairros periféricos e também no interior do município (área rural), a fim de coibir o comércio de entorpecentes em bares e postos de gasolina.

Durante a noite, os policiais civis realizaram rondas e diversas abordagens, identificando pessoas e verificando situações de veículos.

Cão arremessado

Já em Capão da Canoa, um homem foi preso em flagrante, após arremessar um cachorro por sobre o muro de uma residência, em direção à rua. O incidente foi registrado no bairro Santa Luzia.

De acordo com informações da Polícia Civil e Brigada Militar (BM), a atitude foi tomada em meio a um bate-boca entre a inquilina e o proprietário do imóvel, que não queria o animal em sua propriedade. O cão foi resgatado pela dona, passa bem e já foi encaminhado para adoção.

Mediação de conflitos

A Polícia Civil está levando ao litoral gaúcho o projeto “Mediar Itinerante”, para que conversas possam ser mediadas e soluções de conflitos possam ser construídas em diferentes localidades. O objetivo é expandir os princípios da Justiça Restaurativa no Estado, como alternativa à Justiça Retributiva.

Isso é feito utilizando-se uma técnica que consiste na desconstrução do conflito pelo diálogo, buscando identificar as necessidades das partes e os fatores que levaram à controvérsia para que, através dessa conversação mediada, as partes possam construir uma solução para o caso em questão.

O Mediar Itinerante é conduzido por policiais policiais civis com curso de mediação e nesta semana esteve presente em Quintão, Palmares do Sul e Maquiné. Nos próximos dias, deve estar em Arroio do Sal, Torres, Tramandaí e Terra de Areia.

(Marcello Campos)