Ong internacional estuda modelo de combate ao desmatamento do Pará

A The Nature Conservancy, organização internacional especializada na implementação de políticas públicas voltadas à preservação do Meio Ambiente, está estudando, através do seu escritório Colômbia, o modelo utilizado pelo governo do Pará na tentativa de preservar a floresta amazônica.

O Pará criou uma força estadual própria de combate aos crimes ambientais como queimadas, desmatamento e garimpos ilegais. Segundo dados do próprio governo, o que ainda precisa de confirmação externa, há uma redução de 63% no índice de desmatamento em territórios com gestão estadual no último mês de agosto, em comparação com o mesmo período do ano passado. Os trabalhos da força-tarefa prenderam ao menos 30 pessoas. 

Em vídeoconferência com ambientalistas da organização que estão na Colômbia, nesta quarta-feira, 14, o governador Helder Barbalho detalhou o modelo utilizado recentemente pelo Estado no desafio da preservação do bioma amazônico.

O Pará vinha, contudo, liderando o ranking de desmatamento da Amazônia – isso nos meses de abril e maio -, de acordo com dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Cerca de 40% da derrubada de árvores do país chegaram a acontecer em território paraense, segundo o Imazon. Os trabalhos da força-tarefa estadual começaram em junho, após esse período de alta.

Como informou a coluna, o aumento do desmatamento é um problema generalizado no país desde o início do governo Jair Bolsonaro. Houve um aumento de 34,5% nos alertas de desmatamento em todo o Brasil, entre agosto de 2019 e julho de 2020, se comparado com o mesmo período do ano anterior.

Continua após a publicidade