Uma mulher foi presa no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, ao tentar embarcar com um lote de cartões bancários clonados

Suspeita era monitorada nas últimas semanas e viajaria para o Ceará. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Durante operação no Aeroporto Internacional Salgado Filho, na Zona Norte de Porto Alegre, a Polícia Civil gaúcha prendeu em flagrante uma mulher que pretendia embarcar para Fortaleza (CE) transportando um lote com pelo menos seis cartões bancários e de crédito falsos, obtidos por meio de clonagem de alto padrão. Ela era monitorada pelos investigadores havia pelo menos uma semana.

O titular da Draco (Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas) da 1ª DPRM (1ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana), Eduardo Limberger do Amaral, ressaltou que a suspeita é vinculada a uma organização criminosa com atividades centralizadas na Região Nordeste do País. A sua incumbência, antes de ser interceptada, era fazer a entrega do material.

“Esses cartões provavelmente são oriundos de dados subtraídos de vítimas e emitidos de forma ilegal, para a realização de compras também fraudulentas”, detalhou o delegado. A mulher – que optou por permanecer em silêncio ao ser detida – também levava com ela dezenas de chips de telefone celular, um passaporte, um celular e uma máquina de pagamento eletrônico.

O flagrante foi efetuado na tarde de domingo (11), mas só confirmado oficialmente pela corporação na manhã desta segunda-feira, por meio da conta da Draco na rede social Twitter. Junto com a notícia, uma foto (aqui reproduzida pela reportagem) mostra os itens apreendidos. O nome da suspeita não foi divulgado.

Investigações prosseguem

Ainda de acordo com Amaral, a investigação da Draco será aprofundada, a fim de identificar os demais integrantes da quadrilha e outras possíveis vítimas do esquema, bem como os prejuízos causados até agora. Os policiais também querem saber o papel da suspeita na organização.

Uma das questões que a equipe pretende apurar é a forma pela qual os criminosos obtiveram os dados para a clonagem – dos seis cartões falsos, cinco emulavam o emblema e outros elementos visuais utilizados pela modalidade “Ouro Card” do Banco do Brasil, ao passo que o outro exibia lay-out idêntico ao do banco BMG.

(Marcello Campos)

Voltar Todas de Rio Grande do Sul