Indicado ao STF, desembargador Kassio Nunes Marques tira férias do TRF-1 até novembro

O desembargador federal Kassio Nunes Marques, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), se licenciou nesta semana do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1)

O afastamento começou na quarta (7), com previsão até o próximo dia 5, e reúne período de férias e compensação de plantão judicial. Segundo interlocutores, essa licença estava programada antes da indicação ao STF.

O TRF-1 convocou o juiz federal Klaus Kuschel, da 33ª Vara Federal de Minas Gerais, para ocupar a cadeira de Marques na Corte nesse período.

Senadores vão sabatinar Kassio Marques para vaga no STF no dia 21 de outubro

Senadores vão sabatinar Kassio Marques para vaga no STF no dia 21 de outubro

Durante o afastamento, Marques deve reforçar a agenda de reuniões e videoconferências com políticos antes da sabatina na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do Senado, marcada para o dia 21.

Para assumir como ministro do Supremo, Marques terá de ser aprovado na CCJ e, depois, conseguir o apoio de pelo menos 41 senadores em plenário.

Escolhido por Bolsonaro para ocupar a vaga do ministro Celso de Mello, que se aposenta na terça (13), Marques tem se reunido com os parlamentares pra se apresentar. Nessas conversas, ele já disse que é a favor da prisão após condenação em segunda instância, mas ressaltou que a matéria está agora com o Congresso – e que, como juiz, ele respeita as decisões do parlamento.

Sobre a operação Lava Jato, o desembargador disse que ficaria perplexo se qualquer cidadão contrário ao combate à corrupção fosse indicado para o Supremo, mas disse também que é preciso aparar excessos.

O desembargador tem 48 anos e desde 2011 atua no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). Marques foi escolhido para o tribunal pela então presidente Dilma Rousseff e compôs a cota de vagas para profissionais oriundos da advocacia.

Natural de Teresina, foi advogado por 15 anos, fez parte da Comissão Nacional de Direito Eleitoral e Reforma Política da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Piauí e também foi juiz do Tribunal Regional Eleitoral do estado.